30 setembro, 2008

Língua Portuguesa: nosso maior bem

Hoje estou postando uma redação que fiz na escola. Gostei muito dela! Espero que vocês também! :)

Muitos aspectos nos diferenciam do restante do mundo, como nossa música (funk? É do Brasil), nossos costumes (o famoso jeitinho brasileiro), nosso idioma, entre outros. Esses e muitos outros pontos formam o que chamamos de “Identidade Brasileira”, praticamente a impressão digital de nosso país.

         Um dos fatores que muito nos influencia é a cultura de outros países. Poderíamos dizer que só nos afeta a vinda destas culturas, mas pelo contrário: elas nos enriquecem mais ainda, exceto quando a tornamos, radicalmente, substituta da nossa. Por que usar a expressão “teens” e não “adolescentes”? Muitas respostas viriam, mas principalmente diriam que é mais bonito falar “teens” porque é uma palavra de origem estadunidense. Na mente das pessoas, o que vem dos EUA é muito mais bonito, devido à influência do país no mundo. Não está errado, nem certo. Apenas é o costume estrangeiro conquistando seu espaço.

         A pergunta que nos resta é: vale a pena cuidar do nosso principal patrimônio, a língua portuguesa? Apesar de ela variar nas diferentes regiões do Brasil, é ela que nos une e nos torna uma nação. Obviamente, com o avanço da tecnologia, não permaneceremos intactos eternamente. Todos os dias surgem novidades que infiltram e se armazenam no idioma, mas jamais devemos deixar de lado a nossa língua, aquela que cresceu e evoluiu conosco. Séculos de história não podem simplesmente ir para a lata de lixo, mas deve ser conservada.

         Nosso país tem destaque no mundo devido à sua cultura. Conhecido tanto pelo carnaval, quanto pelas pessoas de grande prestígio na literatura. Obras de grandes autores já foram traduzidas para dezenas de outros idiomas. E ainda existem pessoas que negam que haja preciosidades literárias em nossa pátria.

         A conservação do idioma é necessária e depende somente da nossa atitude. O português é forte, é bonito e acima de tudo nos representa. A ele devemos respeito.

E aí, concorda com meu texto? Deixa um comentário ^^

XOXO, 

Natália Scholz

5 comentários:

blogging_at_the_disco disse...

ela só postou porque tirou MB :p

Noimix disse...

mas ahhh natália!
tbém com um escrito desses é fácil dizer q a literatura brasileira é boa, vc é um belo exemplo disso!
meus parabéns

natália disse...

*--*
thanks! :DDD

Sandro Santos disse...

Apenas corrigindo: o funk não é brasileiro. Segundo o Wikipedia:
"O Funk é um estilo bem característico da música negra norte-americana, desenvolvido por artistas como James Brown e por seus músicos, especialmente Maceo Parker e Melvin Parker." Além disso, nosso idioma não é único - nós o dividimos (com diferentes sotaques e gírias, off course) com pelo menos outros 8 países.

Nikolas Pacheco Müller disse...

Pro sandro ali.
Por favor, não vamos comparar James Bronw com essa escória musical que fazem no Brasil.

A propósito, Red Hot Chili Peppers (Meus ídolos) começou fazendo Funk. O verdadeiro Funk. Aquela música que ficou 'famosinha' um tempo atrás, Hump The Bump, é um Funk. Tem outras também como Suck My Kiss e Around the World. Funk de verdade.

Mas indo ao que interessa, muito bom o texto nathália. Parabéns. Vejo o Português morrer dia após dia. Sinto por ele.

Bejão.