26 agosto, 2008

"Você sabe quando eu disse que eu sabia pouco sobre amor? Isso não era verdade. Eu sei muito sobre amor. Tenho observado durante, séculos e séculos e era a única coisa que fez ser suportável observar o seu mundo. Todas essas guerras. Dor, mentiras, ódio ... Eles me fizeram querer virar as costas e nunca olhar pra baixo de novo... Mas quando vejo a forma como o homem ama ... Você poderia pesquisar por todo o universo e nunca encontrar nada mais bonito. Então, sim, eu sei que o amor é incondicional. Mas também sei que ele pode ser imprevisível, inesperado, incontrolável, insuportável e estranhamente fácil de errar e ... O que estou tentando dizer, Tristan é ... Acho que eu te amo. É este o amor, Tristan? Eu nunca imaginei como seria para mim. Meu coração. Eu me sinto como se o meu peito mal pudesse conter ele. Tal como se estivesse tentando escapar porque ele não pertence mais a mim. Ele pertence a você. E se você o quiser, eu te dou, sem pedir nada em troca. Sem bens. Sem manifestações de devoção. Nada, mas sabendo que você amou - só o seu coração, em troca do meu."

Fala de Yvaine (estrela caída) no filme.
Filme perfeito. E o livro? Nossa! Muito mais perfeito!

Recomendo pra vocês: "O mistério da Estrela - Stardust"


Então, pensamento de Natália para o dia de hoje:
Como nossa imaginação é maravilhosa! Enquanto eu lia o livro Stardust eu conseguia imaginar cada cena de uma maneira perfeita! Surpresa (ou não) minha foi quando vi o filme e tuuudo aquilo não se compara às imagens que EU fiz! E é claro que não seria assim. O diretor do filme, ao ler o livro, imaginou de outra maneira que pra ele deve ter ficado perfeita.
Acho que gosto mais da minha imaginação...
A partir de hoje não olharei um filme antes de ler o livro (bom...tentarei, ?!)! O filme nos prende a uma única imagem e aí ler o livro perde uma de suas maiores essências: a criatividade do leitor.

Imaginem agora um nerd correndo num campo florido. Como essa imagem soa pra ti? Como é o nerd? Como é o campo? Como são as flores?
Entende onde quero chegar? Não sei se fui clara. Aposto que não. :)

XOXO,
sua Natália x)

3 comentários:

cahh fleck; disse...

eu sei exatamente o que você quer dizer :D a minha imaginação é umadas coisas que eu mais prezo em mim, porque é algo muito difícil de tirar de mim. um exemplo seria, como você disse, ver o filme antes de ler o livro xD mas isso é evitável, não acha?
ah, e o meu nerd tem cabelo escuro e as flores são amarelas *;

PS: vou procurar o livro para ler o quanto antes; eu vi o filme e amei. eu lenbro dessa parte que você citou no post. vou tentar esquecer o filme ao lê-la no livro :P

Cons :) disse...

Eu também amei essa parte do filme.
E adorei a parte que ele se joga em cima dela e ela pergunta se ele não se sente tentado. Jurava que ia ter uns pega no matinho, haha. Mas a resposta dele sobre a tentação à imortalidade foi super fofa.

E eu também quero ler o livro!

O meu nerd usa óculos de aros pretos e tem o cabelo com formato de tigela.

natália disse...

HUAHUSHUHSU
meu nerd é ruivo com sardinhas e com óculos, claro!
o campo eh de flores amarelas!
cena de filme ;P